Imagem

Australiano utiliza hipnose para acabar com a dor de clientes na hora de tatuar

Australiano utiliza hipnose para acabar com a dor de clientes na hora de tatuar

POR FREDERICO PORTELA – O GLOBO

 Vai doer? Vai. Quem já passou pela mesa de um tatuador sabe que receber uma tatuagem dói – ao menos incomoda. No entanto, de acordo com o australiano Christopher Phoenix, a hora de enfrentar as agulhadas pode ser muito mais tranquila se combinada com uma sessão de hipnose.

Phoenix começou a estudar sobre métodos hipnóticos há cerca de 5 anos na tentativa de diminuir os efeitos da insônia. Mas, desde 2013, ele vem utilizando sua técnica em pessoas durante sessões de tatuagem. O procedimento promete reduzir o desconforto do contato das agulhas com a pele.

Phoenix já realizou mais de 30 procedimentos até então, e garante que funciona, principalmente em pessoas que já foram tatuadas antes:

— Antes da anestesia a hipnose era utilizada para aliviar a dor, é uma técnica legítima — diz ao ‘Daily Mail’ — Funciona melhor em pessoas que já tem tatuagens, pois assim elas podem comparar a diferença.

O australiano no momento está escrevendo um livro com o também hipnotizador Benjamin Ryan.

Assista a um vídeo (em inglês) com depoimentos de pessoas hipnotizadas por Ryan. Os clientes relatam sensação de anestesia:

Prof. Rogerio Castilhohttp://www.rogeriocastilho.com.br/feed/HIPNOSE E PNLhipnosenapratica23

Powered by WPeMatico

Imagem

Técnicas de hipnose melhoram a performance de atletas

Técnicas de hipnose melhoram a performance de atletas

Jornal do Brasil

Muito usada por concurseiros, a hipnose é um dos principais fatores usados hoje para potencializar a concentração. Como não podia ser diferente, ela pode ser usada também para potencializar os resultados de atletas de alto rendimento que participam de competições que demandam requisitos supra-humanos como os Jogos Olímpicos. Rosane Ewald, atleta de tiro esportivo, é uma das adeptas da auto-hipnose.

“Toda noite faço a prova mentalmente e repito frasespositivas, que evitam que eu pense em coisas ruins durante a prova. Na hora, sento e respiro com calma, para abaixar a pressão. Aí pode cair o mundo do meu lado que eu não presto atenção. Se o juiz quer falar comigo, por exemplo, ele tem de me cutucar, senão eu não ouço ele falando do meu lado”, contou a atleta em entrevista para o UOL.

Vânia Calazans, psicóloga e hipnoterapeuta, destaca ainda a importância da técnica para estabelecer o equilíbrio emocional dos atletas:

“A hipnoterapia cognitiva ( hipnose associada a terapia cognitivo comportamental) além de melhorar o desempenho dos atletas, propicia o equilíbrio emocional tão necessário em provas competitivas, através de técnicas de gerenciamento de ansiedade, levando ao aumento da performance”, afirma a especialista.

Será essa uma arma para competir no seu próprio país sem sofrer com a pressão da torcida brasileira?

Prof. Rogerio Castilhohttp://www.rogeriocastilho.com.br/feed/HIPNOSE E PNLhipnosenapratica23

Powered by WPeMatico

Imagem

Capixaba que morou em lixão vendeu empada na praia para fazer faculdade

Capixaba que morou em lixão vendeu empada na praia para fazer faculdade

Thiago Varella – UOL  (16/08/2016)

Quando criança, Ana Karla Nascimento Santa Ana decidiu quer iria ser advogada quando crescesse. A “certeza” veio quando viu o julgamento da personagem Ruth, na novela Mulheres de Areia. Mas, havia um problema. Ao longo da vida, essa capixaba da cidade de Serra, regiãometropolitana de Vitória (ES), ouviu de várias pessoas que “preto e pobre não estudam direito na faculdade.” No entanto, ela conseguiu. Não só se formou em direito como, antes ainda de terminar o curso, passou no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Mas o caminho não foi fácil. De fato a pobreza sempre foi constante na vida de Ana Karla. Filha de pais muito novos, assim que nasceu, ela foi morar em um lixão. Os mais “ricos” do local viviam em casa de madeira, enquanto sua família se contentava com um barraco de lona. Ao longo da infância, se mudou de uma ocupação para outra. Com as mudanças, também trocava de escola e perdia ano letivo. Dos 10 aos 14 anos ficou sem estudar. Voltou na quinta série e conseguiu concluir o que então era chamado de primeiro grau.

“Durante o ensino médio precisei trabalhar. Meus pais se separaram e minha mãe, que era faxineira, cuidava de mim e dos meus dois irmãos. Acabei abandonando a escola no segundo ano”, contou. “Aos 19 anos, casei. E no ano seguinte, separei. Me vi desempregada, sem escolaridade e com depressão, por causa do divórcio”, contou. O sonho de se tornar advogada ficava cada vez mais longe. Ana Karla casou-se de novo, com Sidnei Lima da Silva, e teve seu primeiro filho quando trabalhava em uma loja. No entanto, quando pediu para mudar de horário para poder estudar, recebeu uma resposta que marcou sua vida. “Meu gerente disse que preto e pobre não cursa direito. Como a faculdade não era útil para a loja, ele me demitiu”, contou. Ana Karla foi trabalhar como babá e retomou os estudos no EJA (Ensino de Jovens e Adultos) para, pelo menos, terminar o ensino médio. Em 2010, com a ajuda do marido, decidiu prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). “Ele ficou no terminal de ônibus tomando conta do nosso segundo filho, enquanto fui fazer a prova. Fiz uma pontuação bacana e acabei conseguindo três bolsas pelo Prouni”, disse. “Pensei em cursar pedagogia, já que preto e pobre não fazia direito, mas meu marido me convenceu a ir atrás de meu sonho”, completou. Matriculada e cursando direito na Universidade Estácio de Sá, Ana Karla precisou vender bala no terminal de ônibus e empadinha na praia ao lado do marido para sobreviver. “Colocava uma caixa na sombra de uma castanheira e vendia ali mesmo. Cheguei a estagiar, mas o salário era baixo e valia mais a pena vender minhas coisas na rua”, disse. Hoje, Ana Karla se diz orgulhosa de ter conseguido seu diploma. Mais do que isso, antes de se formar passou no exame da OAB. No começo do mês, teve o esforço reconhecido pelos vereadores de Serra e recebeu a comenda Nelson Mandela. Dentro de casa, a situação ainda não é confortável. Sidnei continua vendendo bala nos ônibus da cidade para manter a família e estudando para também passar no vestibular de direito. Já Ana Karla vai começar a estudar para prestar concurso. O sonho futuro é ser juíza. Por enquanto, vai tentar a defensoria pública. “Agora, eu tenho que estudar e conseguir um emprego. Tanto faz, escritório ou empresa. A porta que se abrir quero aproveitar ao máximo. Vou também tentar ser defensora pública e, no futuro, juíza. Ainda existe muito preconceito e discriminação. Vou trabalhar contra isso”, afirmou.

Prof. Rogerio Castilhohttp://www.rogeriocastilho.com.br/feed/HIPNOSE E PNLhipnosenapratica23

Powered by WPeMatico

Imagem

Como a hipnose substituiu a anestesia geral em 37 operações ao cérebro

Como a hipnose substituiu a anestesia geral em 37 operações ao cérebro

Uma equipe de cirurgiões franceses publicou um artigo científico que confirma que a hipnose pode substituir as anestesias gerais em cirurgias de extração de tumores. Na Net, já há vídeos de cirurgias que recorreram à hipnosedação.

E se as equipes de cirurgias passarem a contar com especialistas em hipnose? O conceito já começou a ser experimentado no Centro Hospitalar Universitário de Tours, França, durante cirurgias a doentes com tumores cerebrais. A equipa de cirurgia local usou técnicas de hipnose em 43 cirurgias realizadas em 37 pacientes – e apenas dois desses pacientes disseram que, se tiverem de ser operados outra vez, preferem a anestesia geral, refere um artigo publicado no jornal Neurosurgery.

As cirurgias ao cérebro costumam ser compostas por três momentos: um primeiro em que o doente está sob efeito da cirurgia geral e que prevê o corte de pele e do osso; um segundo em que o doente é acordado para que o médico possa fazer a intervenção e limitar eventuais danos colaterais durante a extração do tumor; e por fim, um terceiro momento em que o doente é colocado outra vez sob anestesia geral para que o médico possa “fechar” a abertura da cirurgia.

Através de uma técnica batizada de hipnosedação, os médicos substituíram a anestesia geral por sessões de hipnose que começam a ser preparadas algumas semanas antes da operação. A Ars Technica revela ainda que pouco antes da cirurgia, os doentes são instruídos para que imaginem um cenário alegre em que é possível manter a consciência afastada a alguns centímetros do corpo. Durante a cirurgia o hipnotizador também pode dar instruções em consonância com as intervenções que são feitas pelos médicos – e desse modo poderá poupar os doentes aos ruídos ou vibrações causadas pela aplicação dos diferentes instrumentos na massa encefálica.

A hipnosedação apenas substitui a anestesia geral. Os doentes continuam a tomar analgésicos e sedativos que evitam a sensação de dor durante a cirurgia. Apesar de não dispensar o recurso a fármacos na totalidade, esta nova técnica tem a vantagem de tornar as cirurgias mais rápidas (não é necessário esperar que os doentes despertem) e de facilitar o controlo dos sinais vitais do doente.

Ainda é cedo para augurar a ascensão da hipnosedação ao estatuto de especialidade clínica: os cirurgiões do hospital de Tours não apuraram resultados que possam ser comparados com os doentes que foram submetidos a anestesias gerais – e por isso é difícil saber quais as vantagens que o uso da hipnose pode ter em cenário de cirurgia. Além disso, há a questão da adaptação ao indivíduo: a hipnose exige longos períodos de preparação e treinos – e todas essas sessões têm em conta os gostos e preferências de cada doente.

No vídeo que se encontra integrado nesta página pode ver uma cirurgia que recorre a hipnosedação. Não aconselhável a pessoas mais suscetíveis.

https://www.youtube.com/watch?v=1r4NyFfkghA

(Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt)

Prof. Rogerio Castilhohttp://www.rogeriocastilho.com.br/feed/HIPNOSE E PNLhipnosenapratica23

Powered by WPeMatico

[HipnoShow] – Novo show de hipnose cômica em SP!!!

Convite especial pra você que curte hipnose e seeeeeempre me pede para ser hipnotizado: show novo, inédito, incrível de hipnose cômica em SP!!! Dia 25/08 (próxima quinta-feira), às 21h, estarei no Teatro UMC com grandes surpresas pra você!! Quer ser hipnotizado? Quer dar muita risada? Ou melhor… quer passar pela experiência MAIS INCRÍVEL da sua vida? … Continue reading [HipnoShow] – Novo show de hipnose cômica em SP!!!

O post [HipnoShow] – Novo show de hipnose cômica em SP!!! apareceu primeiro em Rafael Baltresca.

Powered by WPeMatico

Turbinando o corpo com malhação mental

Pense em uma atividade física, uma parte do seu corpo que você gostaria de dar aquela trabalhada na academia, deixar mais turbinada… Pensou? Pronto!! Malhação do dia cumprida. Continue assim, com estes exercícios mentais diários, e logo você perceberá um ganho muscular REAL!! Parece maluco? De acordo com um experimento realizado pela Universidade de Northampton, Reino Unido, … Continue reading Turbinando o corpo com malhação mental

O post Turbinando o corpo com malhação mental apareceu primeiro em Rafael Baltresca.

Powered by WPeMatico

[Interativo] – Cegueira à mudança

Você se considera uma pessoa atenta às mudanças e a tudo o que acontece ao seu redor? Bom, para termos certeza de que sua resposta procede, vou te propor um desafio…  Abaixo, você irá conferir um teste super legal chamado Cegueira à mudança. Trata-se de um mecanismo cerebral que nos faz deixar de enxergar alterações no ambiente… … Continue reading [Interativo] – Cegueira à mudança

O post [Interativo] – Cegueira à mudança apareceu primeiro em Rafael Baltresca.

Powered by WPeMatico

Está no ar… o BaaaaalCast!!

Na semana passada, tive a grande alegria de poder lançar oficialmente o BalCast: meu podcast sobre comportamento humano, com ideias inovadoras sobre o mundo corporativo, o cotidiano das pessoas, e todas as loucuras que me vieram à mente. O meu objetivo com este novo canal de comunicação é dar uma chacoalhada na vida das pessoas, propondo reflexões … Continue reading Está no ar… o BaaaaalCast!!

O post Está no ar… o BaaaaalCast!! apareceu primeiro em Rafael Baltresca.

Powered by WPeMatico